Duas crianças foram atingidas por tiros de fuzil em guerra do tráfico e uma morreu

A guerra do tráfico pelo domínio do narcotráfico na fronteira do Paraguai com o Brasil, no Mato Grosso do Sul, acabou deixando novas vitimas. Em uma pausa de 14 dias, de acordo com as autoridades do Paraguai, 2 crianças brasileiras, que viviam no país foram alvo de tiros de fuzil na hora dos atentados. Uma faleceu e outra teve um pedaço do nariz arrancado. Segundo o promotor do Paraguai, Marco Amarilia as execuções são muito parecidas e deixam os moradores espantados gerando um cenário de insegurança e medo e a guerra tem gerado cada vez mais vitimas inocentes que não possuem nenhuma ligação com os assassinos.
“Geralmente os criminosos chegam até as vítimas de carro ou motocicletas. Premeditados, os atentados acontecem até mesmo a luz do dia e os tiros, que de comum são de fuzil ou pistolas, só param quando existe a certeza da morte”, revelou ao G1 o promotor. de acordo com o delegado Alcides Braun, que trabalha em Ponta Porã, os assassinos utilizam muito o fuzil para assegurar os assassinatos.
“Os projéteis dessa arma acabam transfixando o alvo, mesmo as que não acertam, essas balas continuam a trajetória por longo percurso”, e ainda completou afirmando que, “A maioria das grandes execuções ocorrem com fuzil. É uma arma que dispara os projéteis em alta velocidade e com muita energia. Então o próprio veículo não consegue segurar a munição e atravessando esse, acaba acertando quem está próximo”, pontuou o delegado.
Ainda segundo o delegado, os atentados são feitos em grupos de 4 pessoas para assegurar que a vitima não saia com vida eles atiram ao mesmo tempo. “Desta maneira, muitos projéteis se perdem e acabam atingido inocentes que geralmente não tem nenhuma ligação com o alvo da execução, como foi o caso das duas meninas recentemente atingidas por tiros de fuzil”, ressaltou o delegado.
Brenda Micaela Arguello González de 6 anos de idade teve uma parte do nariz atingida, a segunda vítima não teve o nome revelado morreu por conta dos ferimentos.

+  "Cena de cinema," jovem salva irmã de 3 anos segundos antes de ser atropelada


PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário