Sem provas, pastor afirma em vídeo que CoronaVac gera câncer e possui HIV; MP pede responsabilização criminal

Centros e promotorias do Ministério Público do Ceará (MPCE) pediram na terça-feira dia 15 através de meios legais que o pastor Davi Goés, do Ministério Canaã da Assembleia de Deus, localizado em Fortaleza seja responsabilizado criminalmente e civilmente por transmitir fake news acerca da vacina chinesa CoronaVac. Em uma gravação o pastor chega a afirmar que a vacina por gerar câncer e possui o vírus HIV nela. A gravação foi compartilhada entretanto chegou a ser removida na quarta-feira, pelo YouTube pois feria a política de informações  médicas relacionadas ao coronavirus.
A Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa), onde um dos ofícios acerca do caso foi encaminhado, chegou a confirmar que recebeu o ofício do Ministério Público e que, logo depois de analisar o expediente, irá responder a solicitação do órgão dentro de sua competência. “Muitas pessoas vão morrer de câncer, achando que foi câncer porque comeu alguma coisa, porque foi hereditário, porque tem família, por causa de um tumor, mas na verdade foi por causa da vacina. Depois que essa substância entrar no nosso organismo vai atingir o nosso DNA, um cientista francês disse que até HIV tem dentro dela”, afirmou o religioso na gravação que vem gerando polêmica.
Através de uma nota oficial, o religioso falou,”ter feito uso de seu direito constitucional de liberdade de expressão, emitindo sua opinião pessoal, cabendo a cada um dos membros analisar e ponderar as informações repassadas, inclusive as científicas”., ressaltou o pastor.Davi Góes chegou a alegar dissociação da gravação que foi compartilhada nas redes sociais de uma fala maior,”O recorte foi realizado de maneira maldosa, assemelhando-se a Fake News e desvirtualizando sua finalidade”, afirmou Davi Goes.
Segundo o MPCE a ação de Davi Goes fere a lei de contravenções penais acerca de gerar alarde, comunicar desastres ou perigo irreal, praticar ato capaz de induzir o pânico sem contar que  vai contra uma lei estadual que responsabiliza quem espalha fake news sobre o covid-19 sancionada em maio de 2020. Davi Góes chegou a mencionar que no período em que a gravação foi realizada ele citou uma matéria científica vinculada em alguns portais e canais de vídeo da internet..

+  Macabro: Criminoso matou e decepou vítima para beber seu sangue em ritual e detalhes chocam a população


PRÓXIMO ARTIGO →

Deixe um comentário